quarta-feira, 27 de julho de 2005

Megalómano TGV

A discussão faz parte da agenda política nacional. É um investimento financeiro massivo num país à beira da banca rota. Será que se justifica?
Bem, talvez importe analisar a razão da existência no TVG na própria França, onde foi inventado. Quem pegue num mapa desse país rapidamente se apercebe da sua distribuição territorial, ou seja, que os grandes núcleos metropolitanos estão bastante afastados entre si e o resto é praticamente paisagem e pequenos núcleos urbanos. Ora, o TGV foi criado exactamente para poder percorrer as grandes distâncias (+ de 500 km) em pouco tempo rivalizando com o transporte aéreo. É também por essa razão que tem poucas paragens ao longo do seu percurso.
Mas passemos ao TGV português. Temos apenas 2 grandes núcleos que estão separados por cerca 300 km. Nesse percurso ridículo ( pensando em TGV) querem fazer duas paragens: Coimbra e Aveiro. Por outro lado, na vertente internacional, tanto Lisboa-Badajoz como Porto-Vigo distam entre si cerca de 200km. Questão: Onde cabe o TGV?
Não era mais barato uma linha mais simples nesses dois percursos utilizando o actual e também rápido "Pendolino" usado nos "Alfa Pendular"? A diferença de 10 min não faria assim tanto prejuízo, e quem tem dinheiro para ir passear pela Europa podia aproveitar o investimento dos espanhóis. Pelo menos uma vez sejamos racionais. Tenho dito!

1 comentário:

Clickbank Mall disse...

Prenota oggi gli ingressi per i musei di Roma
acquista