segunda-feira, 14 de maio de 2007

Sobre o ser Baptista

Desculpa Tiago, faltava só mais esta nota. Sim, eu continuo a ser baptista e mais convicto do que nunca. E acredito que os nossos pais denominacionais teriam um ataque cardíaco se vissem o estado a que chegou o nosso movimento. Senão atenta nos cinco princípios norteadores que pautaram o aparecimento do movimento e o estado actual das coisas:

1. Separação entre a Igreja e o Estado - Foi um dos principais motivos de separação do ramo Anglicano. Não pode existir qualquer vínculo entre ambos. Porém, hoje assistimos a várias ligações e compromissos entre as nossas Igrejas e o Estado, e principalmente pelo facto de querermos que os nossos pastores (empregados) usufruam de regalias sociais e que os nossos dízimos contem para o IRS. Aqui, um ponto a menos para os baptistas do presente.

2. Sacerdócio Universal dos Crentes - Os pais baptistas defendiam a igualdade no Corpo de Cristo, isto significando que não existe separação entre clero e leigos. Mas o que vemos hoje? A sacralização do púlpito, os "vocacionados", os "ministros da Palavra", os que a cada domingo se posicionam, "sacerdotalmente", entre as pessoas e Deus do alto dos seus "adorados" púlpitos. O pastor que "sabe" mais que os membros e por quem passam todas as decisões e orientações. E vão dois pontos a menos.

3. A autoridade exclusiva da Palavra - Aprendemos na nossa "catequese" que a Bíblia é a nossa única regra de fé e prática, mas não é isso que aplicamos no nosso quotidiano religioso. Importámos modelos e práticas dos americanos e brasileiros que seguimos cegamente por acharmos que aí reside a essência da nossa fé. Por exemplo: Dia do Pastor, Dia de Rumo à EBD, A Ceia do Senhor com pequeninos pedaços de pão e pequenos cálices de vinho numa "celebração mórbida" da vitória de Cristo sobre a morte, Dia da Mãe, Dia de Missões, Departamentos, Cargos e afins. E assim vamos três pontos a menos.

4. O baptismo de Adultos convertidos - Este é dos princípios nucleares do nosso movimento. Mas não hesitamos em baptizar crianças de sete ou oito anos. E fazemos cultos inteiros de consagração e dedicação dos nosso bebés não vá acontecer-lhes alguma coisa antes de poderem fazer essa decisão. Agostinho, por certo, haveria de nos elogiar. O que é feito da frase de Jesus "deixem vir a mim as crianças porque delas é o Reino"? E assim chegamos a menos quatro pontos.

5. Governo Congregacional - «Last but not least». Deriva dos 2º e 3º pontos. Isto não significa que as nossas decisões sejam tomadas por via de votações e reuniões deliberativas fastidiosas, com regras parlamentares e tudo. Mas que resultem de um esforço de diálogo, oração e consenso muito pouco visto nas nossas comunidades em geral. E aqui chegamos a cinco pontos.

Sou baptista sim, e sê-lo-ei sempre, porque tenho orgulho nos nossos pais e nos princípios que eles defenderam com as próprias vidas. Simplesmente, não os reconheço no movimento contemporâneo.
Deixo-te um pequeno excerto de primeira Confissão de Fé Baptista de 1646: «Mas se qualquer homem impuser sobre nós aquilo que não vemos ser mandado por nosso Senhor Jesus Cristo, preferimos morrer...mil mortes a fazer qualquer coisa...contra a luz da nossa consciência".

E tu ,Tiago, ainda és Baptista?

5 comentários:

Daniela Mann disse...

Não me querendo meter na vossa troca de argumentos e comentando apenas o post, quero dizer que tenho que concordar com muito do que escreves! Nunca tive coragem de pedir o recibo das ofertas que dou, para descontar no IRS, é uma situação que me parece contraditória! Também nunca me senti confortável com a celebração de alguns dias específicos, como os que mencionaste e tantas coisas, umas importadas, outras por tradição, mas que nos afastam cada vez mais do primeiro propósito!
Abraços

PS: Deixem só ficar os pequenos cálices de vinho, porque é mais higiénico!!! eh eh eh eh

Hadassah disse...

Daniela,

Sbscrevo-te em tudo... até nos cálices... :)

Mas é engraçado que vamos buscar muita coisa à Ig. Baptista...julgava que o fenómeno das dedicatórias, que passaram a cultos inteiros em vez de uma simples oração de entrega, fosse só nosso... agora até já temos cultos de homenagem a casais que comemoram bodas de casamento...

ou será que o fenómeno foi de nós exportado? :)

David Cameira disse...

Bem e´assim, eu apanhei um CHOQUE com algumas coisas que o Nuno escreveu neste post mas ate concodo com outras.

Sim os copos é mais higiénico e nem a mim me passa nunca pela cabeça dar o ósculo santo a um homem ou andar vestido de túnica e sandálias aos domigos pq JESUS andava de túnica e sandálias

Dai q a mentalidade ocidental e ela toda influencia dada pelo 2 imperialismo " anglo-americano que, obviamente , é discotivel mas tb incontornavel , PELO MENOS desde a quda do " BLOCO DE LESTE "

A mim repugna-me a ideia q haja baptistas q nao exercem os seus direitos qt aquilo do IRS , bolas devemos ter tantas ganhas de cumprir os deveres como sanha de receber os direitos

e além disso isso é um principio baptista q a nossa lei la adoptou, ate nem sei bem pq mas enfim está lá....
Entao não era melhor queimar no fogo todas as concordatas e q cada um deduzi-se uma percentagem dos seus impostos para a sua igreja ? entao e os ateus davam para as associaçoes deles ou nao davam para nenhuma ou davam para onde quizessem

Agora eu andar a sustentar o loby gay q recebe do estado , uma associação de laicistas q defende o ateismo, e mais este aquele e o outro e não poder sustentar a minha igreja ou o GBU ou o q eu quizer ???

Mas o dinheiro é meu ou e deles ?
E depois, sem ofensa para ninguem como é obvio, mas começo a ter cada vez menos paciencia para aqueles irmãozinhos que se julgam " mais santos " ou coisa q o valha por nem sequer cometerrem o acto " carnal " de misturarem o " espiritual " com o dinheiro

Qt ao teu ponto 2 dou-te TOTAL razão e o pior não e qd se acercam do pupito DOUTORES q sabem é qd , quase , o usurpam aqueles q JULGAM q sabem

Qt ao teu ponto 3 ( SOLA SCRIPTURA ) estou em algum desacordo dado q numca vi celebra-se nas igrejas onde ja estive O DIA DA REFORMA nem o DIA DA IGREJA PERSEGUIDA ( MOMENTO MAIOR DA REFLEXAO E DO INPOLSIONAMENTO A UMA ACÇÃO A FAVOR DOS IRMÃOS E IRMÃS DO MUNDO INTEIRO QUE SOFREM POR FALATA DE LIBERDADE )
Qt ao dia das Mães, dos Pais e dos Avo´s deve continuar a realizar-se porque e uma prova de amor para com os homenagiados
Qt ao excessivo peso da dedicação das criaças , de facto, parece o baptizado protestante e se a criança , longe vá o mau olhado, morrer sem este rito ? tb vai para o ceu ou fica no Limbo ?

Qt ao dia de rumo da EBD é outra inutilidade , fizessem o dia de matar a fome e asde e de medir a tenção aos pobres e de dar banho aos idosos ( e não so´) acamados e JESUS fiacaria mais contente com a sua igreja !

As crianças DESDE QUE tenham consciencia do q estao a fazer nao so podem como devem tomar o baptismo,
QUEM CRER ( em qq idade e estado mental em q se possa crer validamente interpreto eu ) SEJA BAPTIZADO

Mas é preciso é q não seja pelos pais, irmãos , amigos da classe q ja fizeram todos ou pq fica bem para serem meninos e meninas bonitos/as

Há e as assembleia devem mm fazer-se com regras parlamentares e não " a balda 2 mas deve ser extirpado o jogo dos interesses e dos grupos q se movem nos bastidores e da corupção sagrada q acaba por osquestrar uma naipulaçao dos principios democraticos para qual brutus matar julio Cesar.

Tenho dito

William disse...

Muka,

Permite-me algumas palavras simples e com a humildade que a questão me permite...mas,

Sinceramente, acho uma tremenda falta de responsabilidade, esta questão do IRS. Acho incrível que não se consiga vislumbrar alguma coisa de bom numa lei que não venha impressa em papel de Bíblia.

Princípios (básicos) de tributação:
> Todos os que auferem rendimentos têm de ser tributados por eles.
> Todos os que numa situação de (patronato, mecenas, etc) pagam a alguem salário, têm de o declarar.
> Todos os que recebem, declaram e descontam, têm direito aos benefícios sociais disponíveis (Seg. Social, Saúde, etc)...

Ora, é de elementar lógica que se algum dia na vida queremos que o a tributação do estado se torne igualitária, e o cruzamento de dados seja uma realidade, aconselho a que TODOS declarem os seus dízimos e ofertas, não só para repôr justiça social como para transparência contributiva. É simples, ao estado (e à sociedade tão igualitária que tu defendes) não convém permitir que existam transferências de dinheiro (e trocas afins) não tributadas e declaradas (com fins compensatórios - salários, etc, ou outras comerciais).

Não existe possível defesa para este argumento (e não estou a dizer que não se tente) apenas estou a dizer que a elementar lógica igualitária de justiça social e económica não o permitirá. (nesta até o BE e o PSD se juntariam à mesa para jantar)

Os crentes humilham-se perante as autoridades e imiscuem-se dos seus direitos...

"dia de rumo à EBD é outra inutiliade"...fico-me com esta pérola, acho que nem preciso comentar...

João Leal disse...

Olá, Nuno

Gostava só de fazer notar ao David Cameira que precisa de ter mais cuidado porque parece estar quase à beira de um avc.O rapaz meteu-me medo a sério, com aquelas maiúsculas todas para fazer passar a mensagem.

1 abraço, Nuno. As tuas palavras lembram-me lutas minhas de há muito tempo.