quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

«Vós, diz Cristo, Senhor nosso, falando com os pregadores, sois o sal da terra: e chama-lhes sal da terra porque quer que façam na terra o que faz o sal. O efeito do sal é impedir a corrupção; mas quando a terra se vê tão corrupta como está a nossa, havendo tantos nela que têm ofício de sal, qual será, ou qual pode ser, a causa desta corrupção? Ou é porque o sal não salga, ou porque a terra se não deixa salgar. Ou é porque o sal não salga, e os pregadores não pregam a verdadeira doutrina; ou porque a terra se não deixa salgar e os ouvintes, sendo verdadeira a doutrina que lhe dão, a não querem receber. Ou é porque o sal não salga, e os pregadores dizem uma coisa e fazem outra; ou porque a terra se não deixa salgar e os ouvintes querem antes imitar o que eles fazem que fazer o que dizem. Ou é porque o sal não salga e os pregadores se pregam si e não a Cristo; ou porque a terra se não deixa salgar e os ouvintes, em vez de servir a Cristo, servem os seus apetites. Não é isto tudo verdade? Ainda mal»

Excerto do Sermão de Santo António (aos peixes) de Padre António Vieira.


E pensar que esta mensagem foi pregada em 1654.

4 comentários:

Eu quero disse...

Um texto bem actual.

Scott disse...

Não há nada novo debaixo do sol...

...e pensar que esta mensagem foi escrita há 3000 anos.

Jorge Oliveira disse...

300 anos Scott.
:)

Paula disse...

Infelizmente bem actual...