sexta-feira, 28 de março de 2008

O N.º 27, do Bairro Lizardo

fica duas casas abaixo, na continuação da minha rua. As pessoas que lá vivam quando me mudei para cá partiram em busca de uma vida melhor - leia-se vivenda - e a paz na vizinhança foi com eles. Desde esse fatídico dia já passaram por lá brasileiros com os seus forrós até às quatro da manhã, um tipo que vivia ébrio e que certa noite incendiou a casa com a fórmula clássica vela + colchão, um outro, adepto do tunning, insistia em acelerar no beco sem saída (que é a nossa rua) com o rádio em altos berros acordando a minha filha à toa. Certo dia, os filhos dele (3) foram dramaticamente arrancados de casa pela segurança social por falta de condições. Falta ainda o tarado sexual que passava o dia sentado à porta a controlar as mulheres dos outros e, finalmente, os inquilinos actuais. Até ao dia de hoje, pareciam normais, tranquilos. Eis senão quando (adoro esta expressão) somos brindados com um arrufo de namorados envolvendo a filha da inquilina. Começou com gritos, passou por tareia à moda antiga e ia acabando em facada mortal não fosse um telefonema meu para a GNR.
E pensar que vivi 27 tranquilos anos no Vale da Amoreira.

7 comentários:

Vilma disse...

Estou a ver que os teus vizinhos e inquilinos, andam mesmo muito, mas muito ... inclinados! :D

David Cameira disse...

Mas isso é muito á frente !

LOLLLLLLLLLL

Se calhar, só DEUS sabe, foi mm essa a razão de tu ires parar ai com a família.

Fazer emergir a luz do evangelho num de perdidos pós-modernos.....

David Cameira disse...

Para o caso de vos interessar:

http://www.youtube.com/watch?v=XTK2ruEvcoA

( Ana Paula Valadão e a Igreja martir na China )

Seloti disse...

Oi Nuno, parabéns pelo seu blog! Sempre muito autêntico e sincero.

Recém me mudei para um apartamento novo, e é difícil conviver com as gritarias até as 4 da manhã do adolescente que vive com os pais no andar de baixo. Qualquer dia ainda vou lá bater na porta dele...

Ahh...inclui seu blog no blogroll do site www.igrejaemergente.com.br. Depois dá uma passada por lá, ok? Se tiver algum problema com isso, por favor, me avise que eu o retiro. :)

Maria disse...

vivo perto do Vale da Amoreira e nunca ouvi boa fama sobre o sítio, mas agora que defines (suponho que) Vendas Novas assim (sítio que adoro e julgava calmo), já não sei qual deles 'bem-dizer'.

(mas 99.9% das vezes o mal é das pessoas e não dos sítios, lamentávelmente.)

Nuno disse...

Olá Maria. Pois é, como dizem os ingleses, não se julgue o livro pela sua capa. Do Vale da Amoreira nunca ouvirás boa fama, mas há lá muita boa gente sem fama.
Já agora, onde vives?

Abraço

Nuno

Marta disse...

Nuno, aqui no apartamento ao lado do nosso viveu durante os 2 primeiros anos que cá estivemos uma família que raramente cá vinha, mas quando vinha todos sabiam que cá estavam. As discussões entre o casal eram mais que muitas e os miúdos deviam ser mto traquinas. Puseram a casa à venda, esteve um tempo vazia e foi um casal novo, só c 1 filho que a comprou. Vai ser mais calmo, pensámos. Entretanto descobrimos que estava para arrendar. Eis senão quando veio para cá uma família guineense.
Até agora não houve problemas, a não ser andarem sempre a bater com a porta. Na 6ª f uma das vizinhas tocou-me à porta e disse que fazia anos no sábado e ia fazer uma festa. Imaginas né, parecia k o prédio ia abaixo. Nós entretanto saímos, mas eu acho k alguém deve ter chamado a polícia. à meia noite, quando voltámos, estava tudo calmo.
Vida da cidade é lixada!