quarta-feira, 15 de fevereiro de 2006

Chamada de atenção

Para os que reduzem o "casamento" a um mero contracto social entre duas pessoas. O casamento é, primeiramente, uma instituição divina no sentido em que a união de homem e mulher se dá na e pela presença do Divino, com as condições estabelecidas pelo próprio. Este acto é, sem qualquer sombra de dúvida, muito anterior aos procedimentos legais de qualquer país, que apenas vieram colocar em papel aquilo que as pessoas já viviam na sua prática religiosa. Daí que eu seja contra os casamentos de homossexuais. Considero que eles se apropriam de um princípio espiritual, do qual estão naturalmente excluídos pela condição de que este se realiza entre 2 pessoas de sexos diferentes, e de acordo com as condições estabelecidas por Deus. E, como a esta altura já imagino alguns de vós a vociferar contra o écran faço a devida adenda: Não sou contra uniões legais de pessoas do mesmo sexo, porque isso, sim, é um contracto social válido como qualquer outro. Agora, não lhe chamem é de casamento.

4 comentários:

Vilma disse...

Certo! Concordo em absoluto..não lhe chamem de casamento mas de contrato!
E ja agora, Nuno: PARABÉNS! :))))

Nuno disse...

Vilma, parabéns...? quanto ao post, acho importante a distinção.

ana disse...

eu que postei que não me parecia que o casamento fosse necessário, percebo que as pessoas crentes se casem (não precisavam era de também casar pelo civil). Os direitos testamentários e outros que só o casamento civil confere não devia ser o estado a decidi-los mas as próprias pessoas.

Nuno disse...

Inteiramente de acordo Ana.