terça-feira, 3 de outubro de 2006

Há partes da doutrina e praxis evangélica (no geral) que não encontro na Bíblia

Por exemplo, alguém me diga onde está escrito que:

- O pastor deve usar fato e gravata.
- Somos Calvinistas ou Arminianos, por exclusão mútua.
- Temos que nos reunir em templos tipo basílica e não em casas.
- Temos que ter pregação "oficial" dada pelo pastor.
- Já não existem apóstolos e profetas.
- Os hinos do CC são a nata da doutrina. (Esse não é o papel da Bíblia?)
- O pastor é que administra a Ceia com a ajuda dos díaconos.
- As pessoas são eleitas para desempenhar cargos.(Não é suposto exercer dons?)
- As decisões são tomadas por maioria de votos.
- Os cultos têm que ter uma ordem previamente estabelecida.
- Os Cultos duram um certo tempo pré-determinado.
- As crianças têm um culto à parte.
- Jesus, os apóstolos e os judeus do Velho Testamento falavam línguas.
- O sofrimento é um empecilho à fé. Bem como outra qualquer necessidade material.
- Temos que queimar o fim-de-semana todo nas actividades da Igreja.

5 comentários:

Térsio Vieira disse...

NÃO TI ENCONTRA NA TUA BÍBLIA, TB NO MEU NÃO, TENHO PLENA CERTEZA QUE ESSAS COISAS NÃO EXISTEM NA PALAVRA DE DEUS.

PARA AS PESSOAS QUE INVENTARAM DEVE SER QUE ACHARAM FUNDAMENTOS NAS SUAS BÍBLIAS PARA O FAZER, PK AGORA A VÁRIAS TRADUÇÕES QUE ANDAM POR AÍ QUE NINGUÉM SE ENTENDE... OU RECEBERAM OUTRAS INSPIRAÇÕES, MAS DE CERTEZA SEI QUE NÃO É DE DEUS, SÓ PODE SER...

Ego ipse disse...

É verdade, concordo com a maioria... e a lista só está no inicio! No entanto destas ainda há algumas coisas que encontro na minha Biblia (numerando as alineas: 9)Actos 6; 13)Judeus - 2Reis 18:26; Jesus - Mat 27:46; Apóstolos - Act 2:7-11

JOINCANTO disse...

A Igreja do nosso século tem muito fermento na massa, mas não existe nenhuma denominação, igreja, grupo ou casa que seja completamente perfeito.

É muito bom termos uma consciente crítica mas deixa-me dizer que existem coisas que Deus não padronizou na Bíblia, mas que também não condena, nem estão erradas em si mesmas. Era bom que permitíssemos que o Espírito Santo governasse as igrejas.

Nuno disse...

Ego Ipse: Não me referia a línguas estrangeiras ou diferentesdo hebraico, mas à experiência extática de falar em línguas. E em actos 6 os diáconos não foram eleitos por votação, mas sim por escolha e consentimento de toda a congregação.

Jó: Parece-me que o teu argumento, valida aquilo que estou a afirmar. Alguns não fazem mal, mas vão ficando. Assim como os outros...é complicado romper paradigmas.

Roberto Kalley disse...

De acordo Nuno. É de paradigmas que se trata. E se não rompermos e não os mudarmos...